Resenha: O Dilema do Porco-Espinho -Leandro Karnal

O_DILEMA_DO_PORCOESPINHO_1537893101812965SK1537893101B

Ficha Técnica: 

Título: O Dilema do Porco-Espinho

Autor (a):  Leandro Karnal

Editora: Planeta

Gênero: Autoajuda

Edição: 1º

Páginas: 192

Ano: 2018

Sinopse:

O poeta Vinicius de Moraes cantava ‘que é melhor se sofrer junto, que viver feliz sozinho”. Será? O historiador Leandro Karnal, um dos intelectuais brasileiros que, através de seus livros, palestras e vídeos, nos ajuda a pensar o mundo contemporâneo, discute uma questão presente na vida de todos: a solidão.
A partir de referências de filósofos e da própria Bíblia, de fatos históricos e de romances, ele faz uma reflexão sobre a natureza de viver só – por pouco ou muito tempo, estando ou não acompanhado. Apresenta como a solidão é encarada no cinema, na literatura, na música, nas artes. Mostra que ela pode ser iluminadora e como Deus se revela aos solitários. O mesmo Deus que, segundo Gêneses, teria dito: “Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e corresponda.” E expõe como se desenvolveu a tradição judaico-cristã da solidão.
Em O dilema do porco-espinho, Karnal viaja pela modernidade líquida e analisa a solidão no mundo virtual e o isolamento. Discute dos amigos imaginários criados pelas crianças aos pensamentos de alguns filósofos, como Aristóteles, que dizia que a solidão criava deuses e bestas. Como a solidão é um tema que sempre o acompanhou e, segundo revela o próprio Karnal, tem crescido na maturidade, o autor escreve este livro como um ensaio pessoal. Ao dividir suas meditações, o autor convida o leitor, durante o ato da leitura, a deixar a solidão de lado e compartilhar seus pensamentos também.

Resenha:

Em O Dilema do Porco-espinho, Leandro Karnal nos convida a refletir com um pouco mais de atenção a respeito do tema solidão. Muitas vezes confundimos solidão com algo prejudicial e por vezes doloroso, algo a que somos submetidos.

Mas a solidão aqui tratada é voltada para o lado produtivo, criativo. E o autor se embasa em diversas obras da literatura, assim como em passagens bíblicas e até mesmo no pensamento filosófico de Aristóteles

porco-espinho

Karnal fragmenta a solidão e analisa cada uma de suas partes, formando um produto final lindo, cheio de poesia e ritmo, que faz o leitor transcender a mera experiência de uma boa leitura.

Afinal quantas vezes estamos acompanhados mais nos sentimos vazios, ou então estamos entregues a uma boa leitura e nem percebemos que passamos horas sem interagir com outro ser humano. Acredito que ambas as situações já aconteceram com você leitor, e isso faz parte da vida.

 

São esses diversos momentos que acabam por moldar quem somos, como o próprio Jesus que se viu sozinho em vários momentos de dificuldade e acabou saindo fortalecido, com uma visão mais aprofundada de si e do todo.

As vezes também sentimos tanta ansiedade ao ficarmos sós, que acabamos por aceitar companhias que nos prejudicam e impedem nosso crescimento.

O livro apesar de tratar de um tema complexo, foi escrito de forma simples, ele não chega a ser uma crítica ou uma apologia a solidão, mas sim um conversa amigável sobre o tema. Para quem gosta desse tipo de escrita, essa é uma boa pedida para o final de semana.

Bjos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s