Resenha: A Hora da Estrela- Clarice Lispector

A_HORA_DA_ESTRELA_245905382B

Ficha Técnica: 

Título: A Hora da Estrela

Autor (a): Clarice Lispector

Editora:  Rocco

Gênero: Literatura Nacional/ Romance

Edição: 1º

Páginas: 224

Ano: 2017

Sinopse:

Um dos maiores clássicos da literatura brasileira e também o romance mais popular de Clarice Lispector, A hora da estrela completa 40 anos em 2017 e ganha uma edição comemorativa com projeto gráfico sofisticado, enriquecida por textos críticos assinados por Nadia Gotlib, Eduardo Portella, Clarisse Fukelman, Paloma Vidal, o irlandês Colm Tóibín, a francesa Hélène Cixous e a argentina Florencia Garramuño e um caderno de 16 páginas reunindo reproduções em fac-símile do manuscrito original, bilhetes e anotações da autora. Lançado em outubro de 1977, menos de três meses antes de sua morte, Clarice Lispector expõe os dilemas criativos do escritor Rodrigo S. M., seu alter ego, para narrar a história de Macabéa, uma jovem alagoana órfã que trabalha como datilógrafa no Rio de Janeiro. Uma obra que se mantém instigante, inovadora e profundamente comovente há 40 anos, ganhando reimpressões sucessivas e traduções em todo o mundo, e que agora atinge seu apogeu com esta edição comemorativa.

Resenha:

Em 2017, esse romance maravilhoso completou 40 anos.

A história da jovem alagoana Macabéa,  órfã, introspectiva, datilógrafa, moça simples, sem grandes ambições, nem luxos, tornou-se um dos romances mais conhecidos de Clarice.

Clarice se utiliza do seu pseudônimo Rodrigo SM para narrar essa história, e logo no inicio da narrativa ela deixa claro que essa é uma história simples, que poderia ser contada por qualquer pessoa, de preferência um homem, já que se uma mulher poderia encharcar a trama de lágrimas e lamentações.

O que marca a trama é o desejo que Macabéa tem de viver, de aprender ( representado pelos minutos de sabedoria), mesmo que ela não consiga expressar o que sente, pois as palavras e o conhecimento lhe faltam, reflexo de uma infância cheia de limitações nas mãos de uma tia ruim.

Inicialmente Macabéa pode causar irritação no leitor, uma vez que ela aceita sem questionar todos os maus tratos que os demais personagens lhe infligem. Mas aos poucos vamos criando empatia pela mocinha triste, que se contenta em apenas existir.

A jovem não sabia ser diferente, nunca lhe foi permitido ambicionar mais do que tinha, e assim ela foi vivendo, respirando, como um grito a vida, que talvez reflita um grito da própria Clarice, que veio a falecer 3 meses após sua publicação.

Esse é um livro excelente e merece toda a fama que possui.

5 comentários em “Resenha: A Hora da Estrela- Clarice Lispector

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s