Resenha: O Ceifador – Neal Shusterman

O_CEIFADOR_1489751695648623SK1489751696B

Ficha Técnica: 

Título: O Ceifador

Autor: Neal Shusterman

Editora: Seguinte

Gênero: Literatura Estrangeira

ISBN: 9788555340352

Edição: 1º

Páginas: 448

Ano: 2017

Sinopse:

Primeiro mandamento: matarás.

A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria… Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador – papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.

Resenha:

O Ceifador é o primeiro volume de uma série distópica forte e bem elabora, que se passa no ano de 1942. Alguns avanços tecnológicos ocorreram e mudaram radicalmente a forma com que os seres humanos se relacionavam.

Nesse mundo, não havia mais doenças e nem mortes naturais, as pessoas tinham uma vida estável, com todas as suas necessidades básicas atendidas, e ao chegarem a uma determinada idade, poderiam rejuvenescer, passando a ter todas as experiências de sua juventude novamente, só que agora com um pouco mais de sabedoria advinda dos anos que viveu.

Mas por outro lado, lhe foi tirado o direito de morrer, mesmo que já estivesse cansado e sem perspectiva. Essas pessoas não poderiam tirar as suas vidas, pois ao faze-lo, elas eram enviadas a centros de vivificação, onde eram revividas. Elas portanto só poderiam morrer de fato, se fossem coletadas pelos ceifadores, que tinham a função de fazer o papel da natureza, ceifando uma quantidade determinada de vidas por ano.

Esses ceifadores, carregavam o enorme fardo de escolher as pessoas que fossem morrer, seguindo um padrão que os impossibilitava de serem parciais quando a questões de raça, condição social, beleza, credo ou mesmo relações de inimizade. Eles também tinham o poder de conceder imunidade da coleta pelo período de um ano, geralmente concedido para as famílias das vitimas.

O autor conseguiu trazer elementos já existentes, mas com uma roupagem nova, que tornou a história desse livro única e envolvente ao mesmo tempo.

Diferente das distopias existentes, a tecnologia em si, não foi prejudicial a raça humana, pelo contrário, ela foi tão benéfica, que erradicou todas as mazelas que afligiam o mundo, tornando ele sustentável e agradável de se viver. O que fez com que a necessidade de explorar outros mundos se tornasse obsoleta.

A Nimbo-Cúmulo, é uma inteligencia artificial que controla o mundo. Ela só se eximiu de uma atividade, que foi justamente a de coletar os humanos, deixando essa função para a Ceifa, que com o tempo se tornou corrupta e passível de tramas politicas diversas.

Neal Shusterman, conseguiu elaborar personagens fortes, que nos cativam e envolvem. Os dramas apresentados, são plausíveis, o que faz com que a história se torne mais real para o leitor.

Citra e Rowan, são dois adolescentes escolhidos para serem aprendizes de um ceifador. O ano de treinamento, muda completamente a forma como eles vem a profissão e o mundo em si. E interessante observar as reviravoltas em que estes dois, são envolvidos ao longo da trama.

Eu amei cada segundo da leitura, e estou ansiosa pelo próximo volume.

Bjos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s