Resenha: Dom Quixote De La Mancha- Miguel de Cervantes

126880710_1GG

Ficha Técnica: 

Título: Dom Quixote

Autor: Miguel de Cervantes

Editora: Nova Fronteira

Gênero: Literatura Estrangeira/ Romance

ISBN: 9788520923092

Edição: 1º

Páginas: 1248

Ano: 2016

Sinopse:

A história do engenhoso fidalgo Dom Quixote e de seu fiel escudeiro Sancho Pança conquista leitores geração após geração. O clássico de Miguel de Cervantes é considerado o expoente máximo da literatura espanhola e, em 2002, foi eleito por uma comissão de escritores de 54 países o melhor livro de ficção de todos os tempos. Em homenagem aos 400 anos de morte de Miguel de Cervantes, a Nova Fronteira traz ao público esta edição especial, com a obra integral em dois volumes. O texto de Cervantes é acompanhado das belíssimas ilustrações do francês Gustave Doré, um dos mais fantásticos artistas do século XIX

Resenha:

Esse livro dividido em dois volumes, foi aclamado como um dos melhores livros de todos os tempos, não é a toa, a história envolve o leitor desde o inicio, mesclando um tema sério com um toque de humor e inocência, que encanta.

A trama se desenvolve em torno do desejo de Alonso Quijano, de se tornar um cavaleiro, ele e um fidalgo, na faixa dos cinquenta anos, que vive mergulhado no mundo da literatura, o que acabou por tira-lo temporariamente da realidade.

Suas histórias preferidas, eram as de cavalaria, por esse motivo, resolve mudar o sue nome para Dom Quixote de La Mancha. Sai em uma aventura, em busca inicialmente de encontrar alguém capaz de arma-lo cavaleiro.

Assim ele chega a uma estalagem, junto com o seu pangaré Rocinante. Imagina que o estaleiro é um cavaleiro, dono de um castelo, e que esse o armou cavaleiro em uma cerimonia, em que estava presente a sua corte

Dom Quixote ainda tem um amor, por um fidalga que nomeia por Dulcinéia, a ela, ele deve o seu amor e muitos feitos de bravura. Assim ele se veste com uma velha armadura que pertencia a seu bisavô, e sai pelo mundo em busca de aventuras, mesmo que essas existissem apenas em sua mente.

Dom Quixote, convence um lavrador a abandonar a família e seus afazeres, para o seguir. Esse é Sancho Pança, seu mais fiel amigo é escudeiro. Os dois acabam por serem espancados, por vezes ridicularizados, mas em nenhum momento Sancho Pança o abandona, nem mesmo quando esse luta contra um moinho de vento, ou tem uma batalha com um  exercito de carneiros.

Claro que Sancho Pança desejava obter a recompensa prometida por Dom Quixote ( governar uma insula), mas por vezes é possível observar que esse homem leal, humilde, tem em si um pouco de loucura também, afinal logo de cara dava para se perceber que Dom Quixote, não tinha pleno controle sobre suas faculdades mentais, então por quê ele o seguiu assim mesmo?

Esse é um livro sensível que aborda o tema da insanidade temporária com leveza, mas que sobretudo revela o valor que existe em uma verdadeira amizade.

Bjos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s