Resenha: Para Educar Crianças Feministas: Um Manifesto – Chimamanda Ngozi Adichie

131240979_1GG

Ficha Técnica: 

Título: Para Educar Crianças Feministas: Um Manifesto

Autor: Chimamanda Ngozi Adichie

Editora: Companhia Das Letras

Gênero: Ciências Exatas

ISBN: 9788535928518

Edição: 1º

Páginas: 96

Ano: 2017

Sinopse:

Após o enorme sucesso de Sejamos todos feministas, Chimamanda Ngozi Adichie retoma o tema da igualdade de gêneros neste manifesto com quinze sugestões de como criar filhos dentro de uma perspectiva feminista.
Escrito no formato de uma carta da autora a uma amiga que acaba de se tornar mãe de uma menina, Para educar crianças feministas traz conselhos simples e precisos de como oferecer uma formação igualitária a todas as crianças, o que se inicia pela justa distribuição de tarefas entre pais e mães. E é por isso que este breve manifesto pode ser lido igualmente por homens e mulheres, pais de meninas e meninos.
Partindo de sua experiência pessoal para mostrar o longo caminho que ainda temos a percorrer, Adichie oferece uma leitura essencial para quem deseja preparar seus filhos para o mundo contemporâneo e contribuir para uma sociedade mais justa.

Resenha:

Esse é aquele tipo de livro que todas as pessoas deveriam ler. Chimamanda, traz ideias simples mas ao mesmo tempo inovadoras.

Chimamanda, escreve uma carta para uma amiga, explicando alguns conceitos básicos do feminismo e como se deve educar uma menina, para que essa entenda os seus direitos, enquanto mulher.

Ao todo são dadas 15 sugestões, que ultrapassam as barreiras culturais e de gênero. Conceitos pre-concebidos, que geralmente não observamos que estamos perpetrando, são questionados minuciosamente, o que me fez ver, que infelizmente eu tinha o costume de aplicar algumas das atitudes ali expostas.

Quem nunca comprou uma boneca para uma menina, mas comprou uma bola, pião, pipa, brinquedo de montar para um menino? Quando estabelecemos os objetos apropriados para uma mulher e para um homem, a profissão que uma mulher deve ter, o limite que determinamos para as suas ambições. Quando o mundo se tornou tão sexista?

Essa mulher Nigéria, me fez rever muitas das ideias que acreditava até ao momento que era minhas, mas que no final se mostraram apenas com lições obsoletas que foram sedimentadas no meu inconsciente ao longo dos anos.

Nenhuma mulher deve ser obrigada a abdicar do seus sonhos, em prol de um conceito ultrapassado de felicidade, pautado em ser dona de casa, casada, mãe de família. Não há nada errado com quem faz essas escolhas, mas porquê ter que fingir ser a mulher-maravilha que dá conta de tudo, sem precisar pedir ajuda, concelho, ou divisão igual de trabalho.

Não é porquê um homem trabalha fora, que ele não precisa ajudar em casa, ou se preocupar com a educação dos filhos.

Da mesma forma, não é porquê você optou por casar, que é obrigada a abdicar dos seus sonhos, ou se diminuir profissionalmente para que o seu homem não se sinta intimidado com o seu poder.

A maior lição que tirei desse livro é de que independente de ser homem ou mulher, ninguém merece ser limitado, ou se sentir diminuído. Dê o melhor de si, seja o melhor que puder ser, e sempre procure evoluir enquanto pessoa.

Bjos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s