Filme: O Diário de Anne Frank

O Diário de Anne Frank

fgghhyytt

Ficha Técnica

  • Titulo Original: Das Tagebuch der Anne Frank
  • Lançamento: 2017
  • Duração: 1428 min
  • Gênero: Drama
  • Dirigido por: Hans Steinbichler
  • Elenco: Lea van Acken, Martina Gedeck

Sinopse:

Mais de 70 anos depois do assassinato de Anne Frank às mãos do regime nazista, o diário de guerra da adolescente judia – publicado pela primeira vez por seu pai, Otto, em 1947, e desde então traduzido para mais de 60 idiomas – é um dos livros mais conhecidos no mundo. Adaptações para a tela anteriores têm sido aprovadas, como a de George Stevens em 1959, estrelada por Millie Perkins que recebeu três Oscars; um filme para a TV de 1980 estrelado por Melissa Gilbert e indicado para três Emmys; e uma minissérie em 2001 da ABC, que levou para casa dois prêmios Emmys.

Resenha:

A primeira impressão que tive, foi do quanto esse filme é diferente de todas as versões anteriores.  A atriz que faz o papel da Anne em nada se parece com a garota.

159405.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Mas gostei de ver como a protagonista foi representada, como uma garota forte, cheia de sonhos e planos para o futuro, que apesar da insegurança que as pessoas com quem ela convivia lhe incutia, mesmo assim, ela conseguia se impor, falar o que pensava, mesmo que acabasse indo dormir aos prantos após o desabafo.

Nesse filme, não temos muitas cenas da vida de Anne, antes do esconderijo, elas se resumem basicamente ao dia de seu aniversário, em que ela ganha o diário, além de uma ida a praia, onde ela e suas amigas são encurraladas por alguns garotos alemãs, é o dia em que ela é sua família tiveram que ir para o esconderijo, para que sua irmã não fosse levada pelo regime nazista.

No esconderijo, a família de Anne e as demais pessoas que foram posteriormente agregadas ao grupo, tinham uma certa liberdade de movimento, que eu não consegui visualizar nas adaptações anteriores, em que eles praticamente tinham que se manter imóveis durante todo o dia, para não serem descobertos.

Mesmo assim a tensão de serem descobertos no esconderijo é algo palpável ao publico, que passa a sofre junto com os personagens. É apesar de saber como a história termina, é quase impossível não ter esperança em um final feliz.

 

Fui sendo cativada aos poucos pela protagonista, a medida que ela ia revelando os seus pensamentos, e tendo a sua primeira e única experiência amorosa.

O diferencial desse filme, é que ele aborda um pouco do que aconteceu com Anne e sua família, após os mesmos serem capturados.

Posso dizer que tanto esse filme, como o anterior de 1959, valem muito a pena.

Bjos!

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s