Resenha: Mentes Perigosas (o psicopata mora ao lado)- Ana Beatriz Barbosa Silva

 

11.jpg

Ficha Técnica: 

Título: Mentes Perigosas

Subtítulo: O Psicopata Mora ao Lado

Autor: Ana Beatriz Barbosa Silva

Editora: Principium Editorial

ISBN: 9788525057204

Edição: 1º

Páginas: 232

Ano: 2014

Sinopse:

Eles podem ter várias faces. Disfarçados de pessoas de bem, ocultam o que realmente são: seres calculistas, manipuladores e insensíveis aos sentimentos alheios. Eles são os psicopatas, uma ameaça real e silenciosa.
Esvaziados de emoção, são capazes de passar por cima de todos para satisfazer seus objetivos. Em Mentes Perigosas, a dra. Ana Beatriz Barbosa Silva revela esse sombrio transtorno de personalidade que acomete cerca de 4% da população mundial e mostra ao leitor como se prevenir.
Sucesso editorial com mais de 600 mil exemplares vendidos, esta edição revista e ampliada inclui análises sobre eventos recentes, como os casos Isabella Nardoni e Eloá Cristina Pimentel.

Resenha:

Ana Beatriz, escolheu contar a fábula do sapo, para demostrar que cada pessoa tem uma personalidade e portanto uma natureza especifica, e que por mais que tente esse instinto sempre ira predominar, pode sim ser controlado, moldado, mas sempre fará parte de quem nós somos.

O livro trás muitos dados interessantes, como: 4% da população mundial e composta de indivíduos com algum grau de psicopatia. E que esse podem se apresentar da forma leve, moderada ou severa, sendo que os indivíduos que fazem parte da última categoria, são os que costumam cometer crimes com um alto nível de sadismo.

22.jpg

Sempre que pensava em psicopatas eu imaginava logo um serial killer, que havia cometido vários crimes hediondos. O livro me fez rever essa minha ideia, uma vez que apresenta esses indivíduos como pessoas comuns, que se diferem dos demais por sua ausência de sentimentos, por não conseguirem se envolver emocionalmente com alguém, buscando sempre obter o máximo de vantagem pessoal possível, sendo frios, calculistas e amorais.

Quando passamos a pensar na definição e nas características apresentadas, percebemos que conhecemos ao menos um individuo que possa se enquadrar em todos ou em alguns dos quesitos, e isso assusta, afinal quem não ficaria com medo de ter um psicopata ao lado, mesmo que um de grau leve. Só que esse apontamento é no mínimo irreal, já que só existem 4% da população com esse distúrbio.

Os psicopatas, não sentem culpa pelos crimes cometidos, mesmo que contra familiares, eles não desenvolveram esse sentido por assim dizer. Logo é ilimitado o campo de atuação dos mesmos, uma vez que são os nossos medos que nos impedem de cometer muitas atitudes, já que pensamos temos medo de sermos punidos e também por pensar como nossas atitudes podem afetar de forma negativa o outro.

Me vem a mente a fábula do costureiro do rei, homem honesto, de moral impecável,  que encontrou um anel que o permitia ficar invisível, logo ele passou a cometer crimes, tomou o reino, matou o rei, roubou, afinal ele não podia ser responsabilizado, nem punido. O que o tornava afinal um homem honesto nada mais era do que o medo de ser descoberto, quando o medo desapareceu ele se rendeu ao seus instintos. O psicopata é assim.

A linguagem do livro é bem simples, bastante didática, mas esse não chega a se aprofundar de fato no tema, são poucas páginas e a autora traz elementos desnecessários, como a parte em que tenta ensinar a como se manter afastado de um psicopata, acho que qualquer pessoa normal, com o mínimo de inteligência, ao reconhecer um psicopata se manteria o mais distante possível deste, logo não entendi o porque de perder tempo escrevendo isso.

Tem uma parte bem no inicio onde a autora expõe que uma pessoa ambiciosa que tenta subir na profissão, ou um politico corrupto, podem ser enquadrados em um grau de psicopatia leve, isso me irritou um pouco, afinal falta de caráter nem sempre e sinal de distúrbio psicológico né? Se levarmos o que foi escrito em conta, dá até para justificar tais condutas, afinal eles são incapazes de sentir… Mas a verdade é que para se identificar a sério um psicopata, tem que se ter estudo, preparo, não dá para colocar todas as pessoas que cometeram crimes nesse saco comum. Algum são sim psicopatas, mas a maioria são só pessoas que optaram por fazer o que é errado.

Eu já li livros dessa autora muito bons, esse não é um deles. Achei o livro fraco e senti que estava perdendo um tempo precioso, que poderia ter dedicado a algo mais proveitoso. Por várias vezes pensei em abandonar à leitura, mesmo assim dei uma chance para ver se essa evoluía, não aconteceu.

Não indico essa leitura, ela é pouco aprofundada, tem muita enrolação desnecessária.

Bjos.

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s